Temática

A relevância do tema do DOCOMOMO N/NE - Projeto, obra, uso e memória: a intervenção no patrimônio arquitetônico modernista - se insere na necessidade de debater aspectos relativos à conservação do patrimônio moderno e sua dimensão socioespacial, cultural e histórica na contemporaneidade.
A desvalorização da arquitetura modernista no Brasil, igualmente no Norte e Nordeste, se justifica em grande medida pela dinâmica da urbanização contemporânea, que reflete e reproduz a lógica do processo de acumulação atual, identificada com a mercantilização de tudo e a supremacia do "consumo" no/do espaço, acelerando o processo de destruição e (des)construção e comprometendo a permanência dos artefatos urbanos e arquitetônicos de vários tempos passados.
Nos últimos anos, das mais diversas maneiras, a dinâmica urbana contemporânea destruiu os caminhos da lembrança, arrancando seus marcos e apagando seus rastros. No Brasil e nas diversas capitais do Norte e Nordeste, inúmeros edifícios de risco moderno têm sido descaracterizados e ou destruídos da noite para o dia, na mesma intensidade que o tecido urbano se expande horizontal e verticalmente de forma descontínua, fragmentada, desigual, sem desenho, sem desígnio.
Os dilemas da conservação dos edifícios modernos se manifestam na negação do seu valor cultural e histórico passado e presente, agravado por algumas das tendências da arquitetura contemporânea, que incorporam o efêmero e o fugaz como pressupostos para sua produção, percepção e até mesmo como mote para intervenção no patrimônio modernista.
Neste contexto, a temática do evento se justifica pela necessidade de debater criticamente sobre o processo de intervenção e documentação, em sentido amplo - projetos, obras, usos e memórias - do patrimônio moderno no Norte e Nordeste do Brasil.
A temática pressupõe a importância do projeto, seja por meio da análise crítica do projeto moderno e seu conteúdo programático e ideológico, entendido como caminho para compreender e documentar os princípios fundamentais da arquitetura modernista, seja por meio do projeto de intervenção no edifício moderno, que pode redundar na sua descaracterização ou ressaltar suas potencialidades, mantendo a sua dignidade e longevidade. Some-se a isto a discussão sobre a ressemantização do vocabulário moderno, incorporado a algumas práticas de projeto na contemporaneidade.
Na sequência, a obra moderna constitui em si objeto de documentação, conservação e intervenção, materializados na sua construção, estimulando discussões sobre este tema.
A incorporação do uso ao debate, corrobora para compreender o significado de articulação dos "fixos" aos "fluxos", dos "sistemas de objetos" ao "sistema de ações", como um caminho para valorização do legado modernista.
Por fim, a memória se torna imprescindível para estabelecer os vínculos simbólicos entre tempos históricos, permitindo o reconhecimento e a valorização efetiva dos lugares, símbolos e lembranças, pois o espaço suporta e reforça a memória social.
Neste sentido, o Seminário admite uma diversidade de enfoques distribuída em três eixos temáticos, que incluem, preferencialmente:
A) História e Historiografia da Arquitetura e do Urbanismo Modernos – o Norte e o Nordeste.
A sessão temática tem por finalidade a apresentação de narrativas históricas, a relação entre trajetórias individuais e a análise de obras, de inventários da produção modernista no norte e nordeste e os estudos dos processos históricos de transformação material das cidades, à luz da arquitetura e urbanismo modernos. A sistematização do documento no âmbito do norte e nordeste reforça a importância da revisão historiográfica e crítica da arquitetura moderna brasileira, revelando obras e sujeitos não trabalhados nas análises consagradas pela historiografia nacional.  

B) – Análise critica de projeto de arquitetura moderna e de intervenções no patrimônio modernista (teoria e prática).
A sessão temática tenciona fomentar a análise crítica dos objetos de arquitetura moderna, a partir de teorias historicamente consagradas e contemporâneas.  Quanto às intervenções, o objetivo da sessão é apresentar projetos de intervenção no patrimônio modernista e discutir como os arquitetos estão solucionando na prática os desafios, os dilemas e as questões associadas à conservação e preservação desse legado; evidenciando as bases conceituais e as técnicas que fundamentam as ações.

C) - A Vigência do Modernismo na Contemporaneidade.
A sessão temática objetiva fomentar o debate acerca da relação entre o modernismo "histórico" e a produção da arquitetura contemporânea brasileira. Acolhe reflexões críticas acerca das influências e/ou permanências da arquitetura moderna no panorama diverso da arquitetura contemporânea no Brasil e no caso específico do Norte e Nordeste, discutindo o desenvolvimento das suas manifestações teóricas e práticas.